Disparada do dólar causa impacto no preço dos produtos mais comprados no dia a dia em supermercados!

Com o sobe e desce constante da moeda americana, não são só viagens para o exterior e produtos importados que ficam mais caros. Itens básicos, geralmente que mais têm saída no dia a dia dos supermercados, também sofrem muito com o dólar acima, ou bem próximo, dos R$4,00. Um levantamento feito pela Associação Paulista de Supermercados (APAS) apontou quais foram os principais artigos que subiram nas gôndolas e impactaram o bolso do consumidor.

“Nos últimos 12 meses o consumidor percebeu aumentos em produtos que adquire com frequência, como carnes, pão, macarrão, sabão de roupa líquido, entre outros que possuem matéria prima cotada na moeda americana. Ou também aquele item que o produtor vê mais vantagem em exportar do que em abastecer o mercado interno, já que o lucro em dólar é maior” explicou o economista da APAS, Thiago Berka.

Dentre os produtos com maiores aumentos nos últimos 12 meses, estão:

Frango (31,65%): a alta começou por conta da morte de cerca de 70 milhões de aves durante o período da greve dos caminhoneiros em maio de 2018, uma vez que os insumos para alimentá-las não chegava nas granjas. Aliado a isto, o câmbio ficou mais atrativo para exportação, que foi alavancada pela reabertura do mercado externo. “Com menos mercadoria à disposição e foco para escoar a produção para fora do Brasil, observamos a disparada no preço do frango nos últimos 12 meses”, avaliou Berka

Pão Francês (10,04%) e Macarrão (12,51%): o Brasil não é autossuficiente na produção da matéria-prima desses produtos, o trigo, e mais da metade do que se consome do produto vem do exterior. Além disso, o trigo é uma commodity, ou seja, é cotado em dólar. Por conta disso, fica mais caro importar, o que resulta em um preço maior na produção e, consequentemente, para o consumidor nos supermercados.

Carne Suína (8,51%): a carne suína era uma opção de proteína mais em conta, pois sofreu menos o impacto da alta do dólar. Porém, em 2019 o cenário mudou. Cerca de 35% do rebanho suíno chinês (que é metade do rebanho do mundo) morreu por conta da febre suína africana. Com a moeda americana em alta, os preços ficam mais competitivos para exportar. Somente este ano a alta da carne suína no Brasil foi de 6,43%.

“O Brasil é o quarto maior produtor de proteína animal do mundo, o que tradicionalmente torna o país um grande exportador. Com o dólar em alta, essa tendência se intensificou. Isso faz com que os preços internos aumentem e a previsão é de que haja mais aumentos nos próximos meses, caso esta conjunção de fatores – dólar acima de R$ 4,00 e a crise na produção chinesa – permaneça inalterada”, concluiu Berka.

Carne Bovina (7,68%): com preços comportados ao longo de 2018, inclusive vários meses apresentando deflação, os produtores viram com a alta do dólar uma excelente oportunidade para exportação, melhorando, assim, suas margens e lucros. Além da elevação da moeda americana, outro fator que alavancou a exportação de carne bovina foi a diminuição da rejeição da carne do país após as polêmicas das operações carne fraca. O aumento atingiu todos os cortes, como por exemplo o Acém, opção popular, que subiu 19%.

Sabão de roupa líquido (11,73%) / Desinfetante (10,47%) / Inseticida (11,54%) / Alvejante (9,44%): Quanto mais pesado em componentes químicos é um produto de limpeza, maior a provável dependência do dólar, uma vez que o Brasil não é autossuficiente nas matérias-primas para a produção. Por conta disso, a indústria não consegue absorver todos os custos para produzir e esta alta é repassada para o consumidor.

 

Disparada do dólar causa impacto no preço dos produtos mais comprados no dia a dia em supermercados!



VEJA MAIS SOBRE Economia


Conheça o brasileiro mais rico do mundo

brasileiro Eduardo Saverin, cofundador do Facebook, ultrapassou o empresário Jorge Paulo Lemann, sócio da AB Inbev e da 3G Capital, no ranking de bilionários da revista Forbes, se tornando o brasileiro mais rico do mundo. Saverin tem uma fortuna estimada em US$ 19,4 bilhões e está listado na 95ª posição no ranking. O patrimônio de […]

Leia mais

Mesmo com a pandemia, Puma cresce consideravelmente no primeiro trimestre

A Pum anuncia na  ultimo dia  (28) que registrou um crescimento de 26% nas  vendas no primeiro trimestre, apesar de um contexto desfavorável marcado pela continuação dos confinamentos, por problemas de abastecimento e por apelos ao boicote na China relacionados com a situação da minoria uigur em Xinjiang. As vendas da Puma no referido trimestre foram de 1,549 bilhão […]

Leia mais

Grupo Gera alcança marca de R$ 30 milhões de economia com energia renovável para empresas brasileiras

O Grupo Gera, empresa nacional que atua com geração de energia renovável e eficiência energética para grandes consumidores, acaba de registrar a marca de R$ 30 milhões de economia nas despesas com eletricidade das empresas que contratam de forma privada o fornecimento elétrico a partir de fontes limpas e soluções de eficiência energética. A companhia […]

Leia mais

Conheça os 10 bilionários mais jovens do mundo Em 2021

Os 10 bilionários mais jovens do ranking da revista americana Forbes têm entre 18 e 29 anos e vêm especialmente de três países: China, Estados Unidos e Noruega. O mais novo da lista toda, Kevin David Lehmann, tem 18 anos e é dono de 50% da rede de farmácias alemã dm. Sua fortuna é estimada em […]

Leia mais

Com foco em investimentos, XP lança cartão de crédito

A XP lança o cartão de crédito XP Visa Infinite, após fase de testes com uma base de funcionários, clientes e agentes autônomos. A entrada da XP Investimentos no mercado de cartões tem como objetivo estratégico atender cada vez mais todo o ecossistema financeiro dos clientes, incluindo pagamentos, compras e investimentos. Ainda em 2021, estão […]

Leia mais

FAÇA ESTE BLOG SER AINDA MELHOR, ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *